População realiza a maior manifestação contra governo Bolsonaro desde o início da pandemia
População realiza a maior manifestação contra governo Bolsonaro desde o início da pandemia

População realiza a maior manifestação contra governo Bolsonaro desde o início da pandemia

Um movimento iniciado por estudantes em redes sociais, ganhou reforço dos movimentos sociais Povo sem Medo, Brasil Popular e Coalizão Negra por Direitos, e, principalmente, de familiares de vítimas da Covid-19.

Quase atingindo a marca de 500 mil mortos pelo coronavírus no Brasil, milhares de pessoas foram às ruas pedir urgência na ampliação da vacinação, auxílio financeiro para os mais atingidos pela pandemia e o impeachment do presidente. Só na cidade de São Paulo, 80 mil pessoas participaram da manifestação.

A justificativa dos manifestantes para a “aglomeração com distanciamento social” era: Bolsonaro é mais perigoso que o vírus.

A manifestação ganhou força após a CPI da Covid-19 mostrar que o governo federal recusou, pelo menos, 11 ofertas de vacinas contra a Covid-19.

O movimento teve grande repercussão na imprensa internacional, sendo divulgado por The Guardian, The Economist, Al Jazeera, Le Monde, New York Post, La Nación e Times of India, contribuindo para ampliar o desgaste da imagem internacional de Bolsonaro.

Em reportagem realizada pela BBC News (veja aqui) analistas comentaram as possíveis consequências para o governo.

Foram entrevistados Carlos Melo, cientista político e professor do Insper; Pablo Ortellado, coordenador do Monitor do Debate Político no Meio Digital e professor da Universidade de São Paulo – USP; e Claudio Couto, cientista político e professor da Fundação Getúlio Vargas – FGV para saber o que esperar do “dia seguinte” das manifestações.

Para esses especialistas, cinco cenários são visualizados:

1. Bolsonaro perde o “monopólio das ruas”

2. Impeachment volta à mesa

3. Aumenta a “fatura” do Centrão

4. Dificulta a reeleição de Bolsonaro

5. Empodera a CPI da Covid-19

Para Raimundo Bonfim, da Central de Movimentos Populares, as consequências apontadas pelos especialistas ouvidos pela BBC ainda são poucas. Para salvar vidas é urgente também que Bolsonaro e todo o seu governo sejam afastados. A unificação dos pedidos de impeachment e uma campanha unificada representam grande avanço do movimento pelo afastamento do presidente.

Atualmente, a Câmara dos Deputados acumula 118 pedidos de impeachment de Bolsonaro, além de uma série de manifestos de entidades e grupos que pedem o afastamento do presidente. O mais recente foi o manifesto Artistas pelo impeachment, assinado por de cerca de 2,5 mil trabalhadores e trabalhadoras da cultura, lançado em 10 de maio.

De acordo com as mais de 500 organizações que solicitaram o impeachment de Bolsonaro, os pedidos são embasados em diferentes crimes cometidos pelo presidente. Veja alguns exemplos:

– agravamento da crise sanitária

– informações falsas sobre a Covid-19

– quebra de decoro

– improbidade administrativa

– sabotagem às principais iniciativas de combate à Covid-19

– boicote e atraso na vacinação

– desperdício de recursos e descompromisso com vidas humanas com a promoção de tratamentos ineficazes

– esvaziamento de políticas públicas e sanitárias durante a pandemia

– tentativa de interferência na Polícia Federal

– prejuízo às relações exteriores

– riscos à manutenção da ordem democrática

Os pedidos de impeachment estão listados em https://apublica.org/impeachment-bolsonaro/ separados por tema. O site apresenta também uma “Linha do tempo”, com a cronologia dos escândalos do governo Bolsonaro, desde sua posse.

Crédito: Malu Freire Imagens da manifestação 29 de maio em São José dos Campos
Crédito: Malu Freire Imagens da manifestação 29 de maio em São José dos Campos
Crédito: Malu Freire Imagens da manifestação 29 de maio em São José dos Campos
Crédito: Malu Freire Imagens da manifestação 29 de maio em São José dos Campos
Crédito: Malu Freire Imagens da manifestação 29 de maio em São José dos Campos
Crédito: Malu Freire Imagens da manifestação 29 de maio em São José dos Campos
Crédito: Malu Freire Imagens da manifestação 29 de maio em São José dos Campos
Crédito: Malu Freire Imagens da manifestação 29 de maio em São José dos Campos

Autor

  • Fernanda Soares é jornalista profissional, formada há 25 anos. É responsável pelas publicações Rapidinha, Jornal do SindCT e pelo canal WebTVSindCT. Em 2012 recebeu o prêmio Beth Lobo de Direitos Humanos das Mulheres, oferecido pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, por sua cobertura da desocupação do Pinheirinho. É autora do livro “A solução Brasileira - História do Desenvolvimento do Motor a álcool no Brasil”, publicado e distribuído pelo SindCT, e de livros paradidáticos infantis, da editora Todolivro.